23 dezembro 2009

Natal

Em noite bastante fria,
Na pequenina Belém,
Nasceu Jesus, de Maria,
Filho de José também.

Nasceu mui modestamente,
Sem luxo, ou pompas reais,
Sem cobertas, pobremente,
Em catre de animais.

Agasalhado entre palhas,
Envolto apenas em trapos,
Sem proteção e sem malha
E, como lençol, farrapos.

Seus primeiros visitantes
Não foram queridos entes,
Mas, pastores circunstantes,
Com cajados, sem presentes.

Poderia ter nascido
Em Roma, rico e potente,
Em berço de ouro luzido,
Em castelo imponente.

Não era ele afinal,
O Messias prometido,
Deste mundo o fanal,
O filho de Deus querido?

Por que não veio cercado
De vassalos e criados,
Muitos presentes, mimado,
Ao seu lado os potentados?

Por que trocou a realeza,
Com todo fausto e doçuras
Pela mais dura pobreza,
Incômoda e de agruras?

Quis Jesus menino assim,
Dar um exemplo à humanidade:
O Reino Eterno, que é o fim,
Se conquista com humildade.

Veio à Terra nos trazer
A fé e a esperança,
Renegar e combater
O orgulho e a vingança.

Vaio os homens redimir,
Salvá-los da perdição,
Ao bem os conduzir,
Tirá-los da escuridão.

Jesus, que só deste amor,
Mostrando a luz dos caminhos,
Da morada do Senhor,
Protegei-nos dos espinhos!

Alegremo-nos com os anjos,
Por este acontecimento;
Cantemos com os arcanjos
Teu bendito nascimento!

(José de Lavor Campos)

12 dezembro 2009

Ganhei esse selinho super meigo da minha amiga-irmã de sal e mar, Nereida, do blog "Onde o tempo não pára"
http://nereida-umlugarondeotempono.blogspot.com/

As regras para ter e difundir o selinho:
1- Copiar o selinho no seu blog
2- Deixar um comentário no Blog do amigo que te indicou
3- Linkar o amigo que te indicou
4- Indicar 10 blogs que você acha que compartilha tudo com todos
5- Deixar uma mensagem explicando o que é compartilhar:

" Tenha sempre ao seu lado pessoas em quem possa confiar.
A vida fica melhor se tiver bons amigos para compartilhar e celebrar suas realizações, dores e alegrias.
"

Para esse selinho , indico os blogs:
http://luciazani.blogspot.com/
http://johnnydeppmadness.blogspot.com/
http://extramundus.blogspot.com/
http://ttathy.blogspot.com/
http://novomundodasideias.blogspot.com/
http://meucantinhovirtuall.blogspot.com/
http://inutilidadepublika.blogspot.com/
http://www.vendenafarmacia.com/
http://avitrinedesonhos.blogspot.com/
http://apayess.blogspot.com/

08 dezembro 2009

Presente da Lucia Zani


Ganhei esse selinho da minha amiga artista plástica, a Lucia Zani, do blog http://luciazani.blogspot.com/
Muito obrigada pelo mimo, queridíssima!

03 dezembro 2009

Sociedade Medieval

A Sociedade Medieval é uma sociedade rural, ou seja, que vive principalmente no campo.
A vida nas cidades praticamente deixou de existir, devido aos perigos causados pelas invasões.
Essa sociedade é rigidamente dividida em três partes, portanto, podemos chamá-la de sociedade tripartida (dividida em três partes).
Nessa divisão, cada grupo tem uma função social bem definida, como veremos a seguir:

O Rei


É um nobre como outro qualquer.
Seu poder é apenas figurativo e sua função social é atuar como uma espécie de árbitro entre seu povo e, principalmente, entre os nobres.
Ele é o grande suserano, pois é ele quem divide as terras conquistadas.
O Rei possui a fidelidade de seus nobres e seu governo, apesar de hereditário, deve ser aceito pelos demais nobres.
Os reis e o alto clero disputam a obediência dos demais membros da sociedade medieval, uma vez que os nobres juram fidelidade ao rei, mas também são fiéis a Deus.

Os Nobres - Senhores

Os Nobres são, de fato, os poderosos da Idade Média.
•Eles possuem terras;
•Tem poder militar;
•Possuem DIREITOS SENHORIAIS sobre a terra e sobre os camponeses;
•Cobram impostos e aplicam a justiça.
Os nobres estão ligados entre si (mesmo com o Rei, através de RELAÇÕES de VASSALAGEM).



Hierarquia da nobreza, esquema simplificado.

Os que lutam - bellatores

Iluminura medieval
mostrando uma batalha entre nobres para a retirada de um rei do trono
(note o rei enforcado no alto da imagem).

Os nobres também chamados cavaleiros, tornaram-se o elemento armado da sociedade. Formaram um grupo privilegiado, quase todos os nobres viviam no seu castelo ou no castelo de um senhor mais poderoso. Lugar de protecção, o castelo era também símbolo de poder.
Nesta época, os reis tinham o seu poder muito enfraquecido, sendo incapazes de assegurar a protecção das populações, ao mesmo tempo crescia o poder dos grandes senhores nobres:
Passam a ter seu próprio exército e aplicam a justiça.
Cobram impostos nos seus territórios.Os camponeses ficam à mercê dos senhores
Clero - Religiosos

Os membros do clero fazem parte da nobreza. Porém, possuem mais poder que os demais nobres pois sua função social é rezar pela salvação das almas e cuidar da vida espiritual da sociedade.
Individualmente, não possuem terras ou bens, sendo que essas são propriedade da Igreja Católica (única igreja cristã da Europa Medieval).
A Igreja, representada por seus membros, possui DIREITOS SENHORIAIS, podendo cobrar impostos e aplicar a justiça.


Hierarquia da Igreja Católica, esquema bastante simplificado.
Os que rezam - oratores

Iluminura medieval, mostra a coroação de um rei realizada pelo Papa, auxiliado por outros membros do Alto Clero.
A vida dos homens era profundamente religiosa, o clero possuia grande influência e riqueza. Eram praticamente as única pessoas instruídas e quase todas as escolas se localizavam nos mosteiros e igrejas.
Mas dentro do clero existiam grandes diferenças: o baixo clero (monges e padres), eram respeitados mas viviam pobremente.
O alto clero (Bispos, Arcebispos e Cardeais), tinham um tipo de vida idêntica à nobreza, possuíam extensas propriedades, cultivadas por camponeses.
A Igreja controlava a vida das pessoas, através do medo.
As pessoas tinham medo do Apocalipse, do fim do mundo e da perdição da alma no inferno.
Além disso, tinham medo de serem condenadas pelos Tribunais da Inquisição e assim, serem torturadas e mortas e ainda terem que penar no inferno pela Eternidade.
Por isso, obedeciam aos religiosos.

Cavaleiros do Apocalipse, na ordem, da direita para a esquerda: Fome, Guerra, Peste e Morte.


Camponeses - Servos
Os camponeses são livres, porém estão presos à terra de onde retiram sua sobrevivência e pagam pelo uso da terra.
Os que trabalham - laboratores

Iluminura medieval, Livro das Horas, mostrando o trabalho no campo, realizado pelos servos.
Cerca de 90% da população medieval era constituída por camponeses, a maioria deles viviam nos domínios senhoriais. Os domínios senhoriais eram extensas propriedades agrícolas e estavam divididas em duas partes:
  • Reserva - parte do domínio explorada directamente pelo senhor.

  • Os Mansos - pequenas extensões de terra, cada uma delas explorada por uma família de camponeses.
Obrigações dos camponeses:
Em troca do manso, que lhes era atribuído para assegurar o seu sustento, os camponeses estavam sujeitos a uma série de obrigações, fossem colonos ou servos.
Os servos tinham uma série de “obrigações” para o Senhor Feudal:
  • Fornecer a maior parte de sua produção para o senhor, como uma troca pelo uso da terra do feudo – talha;

  • Trabalhar um número de dias por semana nas terras do manso senhorial (terras do Senhor Feudal) – corvéia;Pagar, em forma de produtos, pelo uso de moinhos, celeiros, adegas, etc – banalidades;

  • Pagar a mão-morta, que era o pagamento pelo uso da terra dos filhos de um servo morto;

  • Além do dízimo pago para a Igreja Católica – tostão de Pedro.

Além disso, os servos deviam obediência ao Senhor Feudal, que poderia castigá-los, aplicar justiça e cobrar outros impostos.

No próximo ano (6ª série), vamos estudar como essas regras e instituições da Idade Média se modificaram.