22 junho 2015

Roma Antiga - Resumo

Esse é um pequeno resumo, especialmente para ajudar no estudo dos meus alunos. Talvez eu o amplie no futuro...talvez.

Anfiteatro Flaviano ou Flávio, mais conhecido como Coliseu
Fonte: http://hypescience.com/roma-antiga-e-o-segredo-do-concreto-indestrutivel/

A civilização romana deixou para o Ocidente uma herança extremamente importante, tanto nas áreas da Arquitetura e Engenharia, como nas Artes, nos idiomas e no Direito. A história de Roma Antiga é fascinante: de uma pequena cidade-Estado, tornou-se um dos maiores impérios da antiguidade. 

A História romana está dividida em 3 períodos: Monarquia, República e Império.


Monarquia Romana (753 a.C a 509 a.C)


A primeira forma de governo adotada em Roma foi a Monarquia, durante esse período Roma esteve sob o domínio dos etruscos, que perpetuavam seu controle propagando a crença de que o rei tinha origem divina. 

Os romanos desenvolveram uma economia baseada na agricultura e nas atividades pastoris. A sociedade romana era hierarquicamente dividida, formada por patrícios (nobres proprietários de terras, descendentes dos primeiros fundadores da cidade), clientes (parte do estrato da sociedade que era livre, mas sem propriedades ou direitos políticos. Se associavam às famílias aristocráticas para sobreviver), plebeus (comerciantes, artesãos e pequenos proprietários, que mesmo sendo romanos não possuíam direitos até o período da República) e os escravos. O número de escravos em Roma na época da Monarquia era reduzido, entretanto esse número se expandiu nos períodos de conquistas e domínio de outros povos. Os escravos podiam ser de três tipos: por dívidas não quitadas; prisioneiros de guerra; e, filhos de escravos. Assim sendo, nem todos os habitantes de Roma desfrutavam dos mesmos privilégios.

Em 509 a.C., os romanos derrubaram o rei etrusco (Tarquínio - o Soberbo), e fundaram uma República. No lugar do rei, elegeram dois magistrados para governar, os cônsules – um para organizar o exército e outro para presidir o Senado.

República Romana (509 a.C. a 27 a.C)

Com o fim da Monarquia, inicio-se o período republicano. Nessa época, o Senado Romano (Conselho de Anciãos) ganhou grande poder político. Os senadores, de origem patrícia, cuidavam das finanças públicas, da administração e da política externa. As atividades executivas eram exercidas pelos magistrados.

Representação do Senado Romano
Fonte: http://www.estudokids.com.br/senado-romano-origem-funcao-curia-fase-republicana-e-imperio/
Com o surgimento da República, os patrícios reservaram para si os cargos políticos, as magistraturas e os sacerdócios, os plebeus, excluídos da vida política, se organizaram e reagiram, resultando em vários conflitos. A insatisfação da plebe se intensificou com a Revolta do Monte Sagrado. Após esse episódio, os plebeus conquistaram maior participação política e melhores condições de vida. As maiores conquistas do plebeus foram: 
  • A criação dos tribunos da plebe, magistratura que permita poder de veto sobre as decisões do Senado, garantindo a defesa dos direitos da plebe; 
  • A Lei das Doze Tábuas (A passagem do Direito consuetudinário para um código de leis escritas) foi um avanço político e uma conquista da plebe que, ameaçando a aristocracia, assegurou um código escrito que lhe garantia certos direitos; 
  • Lei Licínia, que garantia a participação dos plebeus no Consulado (dois cônsules eram eleitos: um patrício e um plebeu); 
  • Lei Séxtia, que garantia participação nos espólios de guerra para os plebeus; 
  • Lei Canuleia, que favorecia o casamento entre patrícios e plebeus, trazendo com isso uma nova organização social e casamentos por interesses financeiros; 
  • e, por fim, a Lei Licínia também aboliu a escravidão por dívidas, mas apenas para cidadãos romanos.
Formação e Expansão do Império Romano



Após expulsar os etruscos de Roma, os romanos expandiram seu território por toda a península itálica, a partir daí, os romanos partiram para as conquistas de outros territórios. Com um exército bem preparado e muitos recursos, venceram os cartagineses, liderados pelo general Anibal, nas Guerras Púnicas (século III a.C). Esta vitória foi muito importante, pois garantiu a supremacia romana no Mar Mediterrâneo. Os romanos passaram a chamar o Mediterrâneo de Mare Nostrum. O domínio do Mediterrâneo provocou sensíveis transformações sociais e econômicas Enriquecimento do Estado romano, aparecimento de uma poderosa classe de comerciantes, aumento do número de escravos.
Mapa: Guerras Púnicas
Fonte: http://vemfazerhistoria.blogspot.com.br/2008/03/guerras-pnicas.html


Após dominar Cartago, Roma ampliou suas conquistas, dominando a Grécia, a Macedônia, a Gália, uma parte da Germânia, a Trácia, a Síria e a Palestina, e por fim o Egito. Com as conquistas, a vida e a estrutura de Roma passaram por significativas mudanças. O império romano passou a ser muito mais comercial do que agrário. Povos conquistados foram escravizados ou passaram a pagar impostos para o império. As províncias (regiões controladas por Roma) renderam grandes recursos para Roma. A capital do Império Romano enriqueceu e a vida dos romanos mudou.

*Sobre as Guerras Púnicas, tem um texto muito bom, publicado em:

A preocupação romana, com as guerras e a manutenção do império, não evitou que a religião tivesse grande importância na vida cotidiana. Nas suas crenças religiosas, os romanos eram politeístas e Imitaram os gregos em muitos princípios e na aceitação das divindades. Os romanos latinizaram os deuses, heróis e seres mitológicos gregos, adotando-os para si.

Conseqüências da Expansão Romana 

  • Enfraquecimento da cidade de ROMA; 
  • Economia deixa de ser agrária passando a ser baseada no comércio; 
  • Empobrecimento dos pequenos agricultores; 
  • Aumento do número de escravos; 
  • Conflitos entre plebeus e patrícios; 
  • Crise no sistema republicano. 

O território romano cresceu, trazendo o empobrecimento dos pequenos agricultores, que para fugir das dívidas vendiam suas propriedades aos ricos patrícios. Isso acarretou um problema social sem precedentes: Roma tinha um número enorme de escravos que faziam todo o trabalho; ricos patrícios e plebeus que possuíam tempo livre para investir em assuntos políticos; disputas entre patrícios e plebeus enriquecidos; e um êxodo rural que inflou as cidades da República com um enorme contingente de mendigos, ladrões e prostitutas.

Em 133 a.C. os irmãos Tibério e Caio Graco, ambos Tribunos da Plebe, tentaram criar uma lei para a Reforma Agrária, mas foram assassinados e a lei anulada. Em 123 a.C., numa tentativa de amenizar a crise, assumiram o poder os Generais Mário e Sila, como cônsules, iniciando uma tradição romana, sempre que há uma crise os militares assumem o poder. 

Por volta do ano 100 a.C., os senadores, temendo o fim da República, criam os triunviratos, onde três cônsules, homens de diferentes seguimentos sociais governariam Roma ao mesmo tempo.

Primeiro Triunvirato 
  • Crasso (patrício) representava as elites ricas de Roma, morreu em seguida, numa batalha no Oriente. 
  • Pompeu (general) representava o exército. 
  • Júlio César (general) representava o povo, tinha um grande carisma entre as camadas mais humildes de Roma. 

César e Pompeu lutam pela centralização do poder. Inicia uma guerra civil em Roma. Júlio César venceu Pompeu e assume o poder. Pompeu fugiu para o Egito onde acabou sendo assassinado. 

O faraó Ptolomeu XIV enviou de presente para Júlio César a cabeça de Pompeu, César horrorizado por receber a cabeça do adversário numa bandeja, destitui Ptolomeu do reinado egípcio, apoiando a posse da rainha Cleópatra. No processo de domínio romano o Egito, tornou-se um protetorado romano. 
Julio César recebe a cabeça de Pompeu, No Egito
Fonte:  Série Roma, HBO: 2005 a 2007

Ao voltar para Roma, César iniciou um processo de reformas sociais: 
  • combate a corrupção; 
  • diminuição de impostos; 
  • distribuição de trigo ao povo. 
César passa a ter o apoio do povo (plebe), porém, sua decisão de nomear-se ditador vitalício fez com que ele fosse assassinado em pleno senado romano por senadores patrícios.

Segundo Triunvirato

  • Marco Antônio (general) representante do exército e do povo, tinha grande carisma entre o povo; 
  • Otávio (senador) herdeiro de Júlio César, acredita-se que era sobrinho de César, tinha apoio do senado; 
  • Lépido (patrício) representante da elite romano, logo foi afastado (morto). 
Julio César (com a coroa de louros) e Marco Antonio
Fonte: Série Roma, HBO: 2005 a 2007

Marco Antônio e Otávio lutam pela unificação do poder. Novo período de disputas dentro da enfraquecida República Romana. Nesse processo, ocorre uma batalha definitiva entre as tropas de Marco Antonio e Otávio, em território egípcio. Otávio Augusto, vence Marco Antonio, conquista o Egito e funda o IMPÉRIO. Tornando-se o primeiro imperador de Roma.

36 comentários:

  1. E por acaso não está resumido?
    Enfim, escrevi pensando nos estudos dos meus alunos...algumas pessoas que gostam de copiar e colar para trabalhos escolares realmente não vão gostar dessa postagem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que resumo para ele é coisa de 5 linhas no máximo

      Excluir
    2. vdd sou uma alunha procurando resumo e acho q isso n é resumo

      Excluir
    3. Enfim... se quer muito mais resumido que isso, que espécie de aprendizado vai ter? Existem vários outros sites na internet. Não precisa vir aqui. Eu não ganho nenhum dinheiro com isso e não preciso de pessoas que não querem estudar publicando desaforos em meu blog.
      Obrigada!

      Excluir
    4. É um excelente resumo sim! Para mim, está perfeito.

      Excluir
    5. Eu adorei! parabéns..

      Excluir
    6. Resumo super completo, organizado e entendível. Eu estava super perdida e foi um grande alívio ter achado isso aqui. Muito obrigada!

      Excluir
  2. Adorei o resumo. Está muito bem explicadinho, de uma forma bastante didática.

    ResponderExcluir
  3. Está resumido de forma muito boa. Se acompanhar com detalhes é uma boa forma de estudo.

    ResponderExcluir
  4. está ótimo!! tudo bem claro e subtendido, boa forma de estudo

    ResponderExcluir
  5. adorei!! resumo bom não é aquele que cita e sim aquele que explica de forma simples

    ResponderExcluir
  6. Está otimo pq em outros sites a historia de roma e enorme

    ResponderExcluir
  7. Impossível mais resumido que isso, gostei muito do seu conteúdo. Parabéns

    ResponderExcluir
  8. Gostei do resumo se resumir mais já fica faltando coisas importantes já tenho conteúdo para estudar para prova vlw mesmo

    ResponderExcluir
  9. EXCELENTE RESUMO. SOU PEDAGOGA E LECIONO HISTÓRIA GERAL...ESTÁ PERFEITO. QUEM QUISER MELHOR QUE FAÇAM... NÃO DÊ IMPORTÂNCIA AOS QUE CRITICAM, COMO SABEMOS, BOA PARTE DOS ALUNOS HOJE MORREM DE PREGUIÇA, NÃO TEM INTERESSE POR NADA, APENAS QUEREM NOTA E MAIS NADA.

    ResponderExcluir
  10. MUITO BOM, é difícil resumir uma importante referencia histórica em poucas palavras!!! PARABÉNS

    ResponderExcluir
  11. Ótimo Tathyana...estudei essa matéria há muito tempo, mas lendo o seu resumo, me senti ainda nos bancos escolares. Obrigado e parabens!

    ResponderExcluir
  12. É UM Otimo, resumo, pois esta bem claro o assunto.

    ResponderExcluir
  13. Excelente resumo está me ajudando muito para meu estágio em licenciatura em história.Obrigada.Parabéns prof.Thathy espero um dia ser um 1/3 como vc

    ResponderExcluir
  14. Bem claro e objetivo. Acabei de usar como um complemento para os alunos.

    ResponderExcluir
  15. Claro e objetivo. Acabei de usar como completo para os alunos.

    ResponderExcluir
  16. Muito bom resumo! Claro e complexo! Agradeço a Tathyana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. igual á eu amre... complexo de qualidades rs

      Excluir
  17. eu amei esse resumo esta muito mas muito resumido

    ResponderExcluir
  18. Como estudante de Direito e pesquisador nato de assuntos históricos... Posso te garantir que sobre a historia de Roma, isto é sim um EXCELENTE resumo!!! lamento para aqueles que querem apenas um resumo de 05 linhas... Terão um futuro de perspectivas bastantes pífias na vida!!!

    ResponderExcluir