05 março 2016

Imperialismo - resuminho


Na segunda metade do século XIX, países europeus como a Inglaterra, França, Alemanha, Bélgica e Itália, eram considerados grandes potências industriais. Na América, eram os Estados Unidos quem apresentavam um grande desenvolvimento no campo industrial. Todos estes países exerceram atitudes imperialistas, pois estavam interessados em formar grandes impérios econômicos, levando suas áreas de influência para outros continentes. A conquista por novas colônias (neocolonialismo) foi uma verdadeira “partilha do mundo” e foi o resultado do interesse das potências capitalistas europeias em investir seus capitais excedentes nas colônias, obter mercados fornecedores de matérias-primas e reservar mercados para seus produtos industrializados.

A industrialização acelerada de diversos países, ao longo do século XIX, alterou o equilíbrio e a dinâmica das relações internacionais. Com a Segunda Revolução Industrial emergiu o Imperialismo, cuja característica marcante foi a busca de novos mercados consumidores para as manufaturas e os capitais excedentes dos países industrializados.

Segundo as teorias desenvolvimentistas, pregadas pelas potências imperialistas, a guerra era concebida como uma necessidade de ampliar o mercado interno substituindo as importações. Assim, as potências imperialistas buscavam conquistar territórios na Ásia e na África, com o objetivo de adquirir matérias primas, aplicar capitais excedentes e procurar de novos mercados para os manufaturados. A expansão colonialista europeia do século XIX foi um dos fatores que levaram ao rompimento do equilíbrio europeu, dando origem à Primeira Guerra Mundial.

Não pretendo esgotar o assunto sobre a colonização da África ou da Ásia nessa publicação, pois a intenção é deixar um pequeno resumo que auxilie os estudos. Muitos horrores e atrocidades ocorreram em nome das conquistas imperialistas em todos os territórios africanos e asiáticos, mas aqui, deixo apenas os episódios histórico postado acima. 

Um comentário: